Dez suplentes assumem vagas na Assembleia Legislativa do Piauí

Jôve Oliveira e Liziê Coelho tomaram posse nesta semana, após Franzé Silva e Nerinho assumirem secretarias no Governo Wellington Dias.
EDNALDO CÍCERO FREITAS
jornalista
redacao@edcicero.com.br

O eleitor piauiense elegeu 30 deputados estaduais no dia 7 de outubro de 2018. Mas a Assembleia Legislativa (Alepi) conta atualmente com 40 parlamentares.

Desde o início da atual legislatura, dez titulares se afastaram para assumir postos no Governo Wellington Dias.

Essa prática tem um objetivo: dar emprego aos correligionários do governador que não obtiveram voto suficiente para ocupar uma cadeira no legislativo.

Recentemente, duas suplentes tomaram posse na Casa: Liziê Coelho (MDB) e Jôve Oliveira (PTB), cujos partidos são aliados de Wellington Dias.

Liziê é presidente do MDB Mulher no Piauí e tem forte atuação da região do semiárido do Piauí. Pré-candidata à Prefeitura de Piripiri, Jôve também atua como radialista.

As duas se tornaram deputadas porque os parlamentares Franzé Silva (PT) e Nerinho (PTB) assumiram, respectivamente, as secretarias estaduais de Administração e Previdência (SeadPrev) e Desenvolvimento Econômico.

Com essa convocação exagerada de suplentes, a Assembleia Legislativa onerou bastante a sua folha de pagamento e pôs tudo na conta do contribuinte.

Nem parece que o estado e o país vivem uma grave crise financeira. E a situação ficou mais complicada com a pandemia do novo coronavírus.

 

Deixe uma resposta