Governo alerta para risco de antecipar reabertura dos negócios

Alguns municípios do Piauí não seguem o calendário elaborado pelo Comitê Pró Piauí e liberaram várias atividades antes do previsto.
Atividades econômicas e sociais estão sendo liberadas aos poucos (Foto: Edcícero)

O Governo do Estado alertou para os riscos que a população de alguns municípios piauienses está correndo com a antecipação da flexibilização da reabertura dos negócios, suspensos há cinco meses por causa da pandemia do novo coronavírus.

Segundo o Palácio de Karnak, alguns municípios criaram “um calendário próprio para a reabertura de diversos setores, o que implica em risco à segurança da população e em um possível retorno do aumento de número de casos”.

De acordo com a Coordenação de Comunicação do Estado (CCom), as prefeituras que tomaram a medida “devem se responsabilizar pelas consequências das medidas, já que alguns comportamentos, por parte da sociedade, podem gerar um avanço da doença”, no caso a Covid-19.

O Comitê Pró Piauí, que coordena a retomada das atividades econômicas, definiu estratégias de saúde e segurança que estão sendo seguidas por empresários de todos os setores flexibilizados com um único objetivo, a saúde do povo piauiense, observando-se a propagação da doença e a capacidade de suporte do sistema de saúde.

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Igor Neri, disse que foi feito “um pacto feito com o setor empresarial para tentar minimizar os danos causados pela crise provocada pelo novo coronavírus. Fizemos diálogos ao longo de meses, separadamente com cada setor e com a equipe epidemiológica da Secretaria da Saúde (Sesapi), mostrando a necessidade dos empresários aderirem a esse plano”.

Segundo Igor Neri, “precisávamos esperar o momento certo para a reabertura, estudando o número de casos, de óbitos e de leitos, para que quando houvesse uma diminuição dos números, um achatamento na curva, fôssemos voltando de forma organizada e com responsabilidade”.

O secretário afirmou que o calendário de reabertura dos negócios foi preparado “com muita segurança, com a equipe da Saúde, que é quem entende realmente, para voltarmos de forma segura, sem riscos para a população. Fazemos um apelo para os municípios aderirem ao plano, ao Pro Piauí, pois assim voltaremos de forma organizada e segura”.

O risco epidemiológico relacionado ao relaxamento das medidas de isolamento social no estado do Piauí vem sendo avaliado, desde 1º de junho de 2020, pelo Comitê Pro Piauí, utilizando, para isso, uma matriz de risco baseada na propagação da doença Covid-19 versus a capacidade de atendimento.

“O índice de propagação da doença é calculado a partir do número de casos novos registrados por semana, número de internações e óbitos no mesmo período, enquanto o índice que avalia a capacidade de atendimento é obtido a partir da porcentagem de leitos de UTI e de enfermaria disponíveis para atender portadores da Covid-19, bem como da proporção de leitos com respiradores por 100 mil habitantes em cada região assistencial”, diz a CCom.

O que já foi reaberto

Desde julho, o Governo do Estado e a Prefeitura de Teresina liberaram algumas atividades que estavam suspensas para evitar aglomerações e, com isso, combater a disseminação do novo coronavírus, que provoca a Covid-19. A construção civil e a indústria foram os primeiros setores liberados.

Comércio varejista, shoppings centers, academias de ginástica, bares e restaurantes, por exemplo, já estão autorizados para reabrir as portas, mas seguindo orientações das autoridades sanitárias. De acordo com as normas, o horário de funcionamento está reduzido. Outra regra é controlar o acesso de pessoas aos locais.

Algumas áreas do setor de turismo já podem funcionar, de acordo com o decreto do Governo do Estado. Os bares e restaurantes não podem promover eventos.

 

Deixe uma resposta