Confira as regras para o funcionamento das academias

O setor já está liberado para funcionar. A retomada dos negócios segue um processo lento e gradual.

Novo decreto da Prefeitura de Teresina, publicado hoje (19), determina normas específicas de funcionamento para as academias, clubes sociais e esportivos para atividades físicas e de recreação em áreas abertas. O setor está liberado a funcionar.

As regras são para evitar a disseminação do novo coronavírus entre os empregados e clientes das empresas, e atendem a orientações das autoridades sanitárias.

Os estabelecimentos ficaram quase cinco meses com as atividades suspensas, por causa da pandemia.

Confira algumas recomendações:

Uso de máscara: é obrigatório o uso da proteção nas academias tanto para o trabalhador como para os clientes, recomendando-se a troca de máscara quando estiver úmida ou suja. O tempo máximo para a permanência com a máscara é três horas. Material deve cobrir boca e nariz durante todo o tempo.

Controle da temperatura: o estabelecimento deve aferir a temperatura de todos para garantir o acesso ao local da atividade física.

Uso de equipamentos: Evitar o compartilhamento de aparelhos, instrumentos, pesos e outros, e mantenham a higienização dos colchonetes, acessórios e equipamentos, imediatamente ao término de seu uso, utilizando álcool líquido 70% ou hipoclorito de sódio.

Cuidados com a higiene: a academia deve disponibilizar tapete sanitizante pedilúvio na entrada do local e de cada salas. Deve também posicionar kits de limpeza em pontos estratégicos das áreas com equipamentos, contendo toalhas de papel e produto específico de higienização, além de lavatório com água e sabão ou álcool a 70%.

Distanciamento: a distância mínima de dois metros entre pessoas e aparelhos tem que ser respeitada. No caso de estúdios e academias em que o treinador e o aluno fiquem muito próximos, recomenda-se o uso de máscaras e face shield. Nesses casos, o treinador deve trocar a máscara e higienizar o face shield com álcool a 70% a cada atendimento de cliente.

Quando não houver condições de cumprimento de distanciamento mínimo, deve-se instalar barreiras físicas entre um equipamento e outro. Deve-se ainda evitar atividades físicas que exigem contato físico entre os participantes, em dupla, trio e pequenos grupos juntos.

Controle no acesso de pessoas: as academias de ginástica devem tomar medidas administrativas para reduzir, dentro do possível, o número de pessoas no ambiente. Recomenda-se que o estabelecimento abra em horários alternativos, para que o tráfego de clientes e profissionais não coincida com o pico de movimento do transporte público, e que procure trabalhar com horário agendado.

Ainda acordo com o decreto, é proibida a comercialização de produtos alimentícios no local.

 

Deixe uma resposta