Prefeito de Teresina e empresários discutem retorno das academias

Estabelecimentos estão fechados há quase 5 meses, por causa da pandemia do novo coronavírus. Empresas vão apresentar plano de reabertura.

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, recebeu hoje (10) representantes do Sindicato dos Proprietários de Academias do Estado do Piauí para discutir a reabertura destes estabelecimentos na capital, que estão fechados há quase cinco meses por causa da pandemia.

Durante a reunião, ficou acordado que os empresários da área, juntamente com o sindicato da categoria, apresentarão uma proposta com um novo modelo de estabelecimento, que prioriza espaços abertos e ofereça menos riscos de contaminação pelo novo coronavírus.

A proposta inicial é mudar o modelo adotado na quase totalidade das academias em Teresina, que funcionam em espaços fechados e com ar condicionado. O recomendável é que, com a pandemia, a atividade utilize ambientes mais abertos, que facilitem a circulação de ar e minimizem os riscos para quem trabalha e frequenta esses locais.

O prefeito afirmou que vai aguardar a proposta que será apresentada ao Comitê Gestor de Medidas para Enfrentamento da Pandemia Coronavírus – Covid-19 e vai avaliar a viabilidade de aplicação dela em Teresina.

“Todo esse processo de reabertura tem sido feito em conjunto com as entidades ligadas a cada setor. Nosso objetivo maior é fazer uma retomada segura, sem risco para os empresários ou para os clientes”, disse.

Para o empresário Eugênio Fortes, representante do Sindicato dos Proprietários de Academias do Estado do Piauí, as academias precisam se readequar ao novo normal, assim como os demais estabelecimentos.

“Vamos ter que viver com esta nova realidade. Como as academias estavam, elas não têm como continuar. É ideal que seja feita uma readequação”, afirmou.

A proposta será elaborada em conjunto com a Universidade Federal do Piauí, que dará parecer técnico sobre a viabilidade de aplicação do novo modelo. “Hoje, a estrutura das academias não oferece a segurança necessária, mas há a possibilidade de se construir uma reabertura priorizando a saúde das pessoas”, ressaltou Emídio Matos, professor do curso de Educação Física da UFPI, que também estava na reunião.

Semcom

 

Deixe uma resposta