TCE-PI: 37% dos veículos do transporte escolar são irregulares

O custo médio por aluno transportado é considerado alto. Só 20% dos estudantes são atendidos pelo serviço, diz o tribunal.

Levantamento feito pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) revela que 37% dos veículos do transporte escolar nos municípios não têm autorização para essa atividade. Além disso, o custo médio anual por aluno transportado é elevado.

O Diagnóstico do Transporte Escolar dos Municípios Piauienses, divulgado quarta-feira (29) pelo tribunal, é referente ao ano de 2019 e foi realizado pela Diretoria de Fiscalização da Administração Municipal (DFAM/TCE) nas 224 cidades do estado.

Veículos velhos

O diagnóstico do TCE aponta que 80% dos veículos têm mais de sete anos de uso, idade máxima recomendada pelo FNDE para este tipo de transporte. A idade média da frota usada pelos municípios é de 17,8 anos, de acordo com o estudo.

O custo médio por aluno transportado é superior a R$ 3 mil, mais que o dobro da média estadual. Ao todo, 180.117 alunos utilizam o serviço, o que corresponde a 20% dos estudantes matriculados nos estabelecimentos de ensino das prefeituras.

Alguns dados do levantamento chamam a atenção, como o fato de 19 veículos serem utilizados, simultaneamente, por mais de uma cidade com a mesma finalidade: o transporte de crianças e adolescentes de casa para a escola.

 

Deixe uma resposta