Cresce número de pessoas imunes à Covid-19 em Teresina, diz pesquisa

A sondagem apontou que quantidade de pessoas com o vírus ativo, com potencial de transmitir a doença, caiu em 35%.

O número de pessoas imunes à Covid-19 em Teresina chegou 93.230 e é maior do que o total de infectantes, que é de 20.151. Os dados foram informados pelo prefeito Firmino Filho em videoconferência com a imprensa nesta quarta-feira e são relativos aos resultados da 14ª etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada entre os dias 17 a 19 de julho. Ele ressaltou que a doença não está mais em expansão na cidade, onde a taxa de transmissão do vírus, o R-zero, está em 0,61.

A sondagem apontou que quantidade de pessoas com o vírus ativo, com potencial de transmitir a doença, caiu 35%, passando de 30.788 na semana passada para 20.151. “O percentual de positivados com doença ativa tem ficado cada vez menor, o que nos permite dizer que cada vez menos existe espaço para o vírus se espalhar na cidade”, destacou o prefeito. A quantidade total de positivados também apresentou queda de 7%. Essa semana, foram identificadas 201.768 pessoas, contra 217.163 registradas na etapa anterior da pesquisa.

Mesmo com os dados positivos nesta etapa da sondagem, o prefeito informa que a doença ainda está em um patamar elevado e que é preciso ter respeito e disciplina às regras de isolamento. “É importante ressaltar que a doença não desapareceu, embora tenhamos uma menor quantidade de casos. Ainda temos que ter muita precaução e continuar com os cuidados, especialmente porque estamos na fase de transição, reabrindo as atividades econômicas”, lembrou Firmino.

A pesquisa realizada em parceria com o Instituto Opinar faz também a amostra da distribuição do vírus pela cidade. Nesta etapa houve uma queda bastante significativa na quantidade de casos na zona Sudeste, que aparece com apenas 5% dos positivados. Em seguida, com menos casos, aparece a zona Norte, com 24%. As zonas Sul e Leste, esta semana, estão com os maiores índices, 38% e 33%, respectivamente.

Quanto à faixa etária, nesta etapa da sondagem, mais uma vez não foram registrados casos positivos entre os maiores de 70 anos. Os adultos entre 35 a 44 anos representam os mais contaminados, com 29% dos casos. Em seguida, com 19%, aparecem as pessoas com idades entre 15 a 24 anos e 25 a 34 anos. Já o adultos entre 45 a 54 anos estão entre os 14% dos positivados. As crianças e adolescentes de 0 a 14 anos aparecem entre os 10% dos casos.

“No início existia muita gente positivada entre os jovens e adultos e aumentou muito entre a população mais velha. Uma tendência interessante é que o pessoal maior de 70 anos está ficando mais protegida e não tem pontuado nas últimas pesquisas. E um detalhe interessante é que de 0 a 14 anos, como as aulas estão paralisadas e a meninada está dentro de casa, tem apenas 10% dos positivados, e não tivemos nenhum óbito nessa faixa etária”, explicou o prefeito.

Semcom

 

Deixe uma resposta