Reabertura das igrejas começa no dia 27 de julho

No início do processo, os templos poderão ocupar apenas 30% da sua capacidade, para garantir o distanciamento social.
Dom Jacinto Brito (Foto: Divulgação)

A abertura gradual das igrejas católicas de Teresina começa no dia 27 de julho, conforme acordo entre as autoridades sanitárias e a Arquidiocese. O arcebispo Dom Jacinto Brito disse que o reinício será com  “apenas 30% da capacidade das igrejas e uso de máscaras”.

As medidas fazem parte do protocolo para evitar o contágio com novo coronavírus, cuja pandemia provocou o fechamento dos templos na segunda quinzena de março. Desde então, as missas estão sendo celebradas com transmissões pela internet.

“Quando as autoridades permitirem, vamos alargar a participação gradualmente, até chegar aos 100% de antes. Não sabemos o dia, mas vamos iniciando com esse percentual para que possamos chegar até lá. Peço que colaborem para que seja possível voltar às celebrações na forma normal e segura”, disse Dom Jacinto Brito. (Veja vídeo no final da matéria)

“Temos como começar esta abertura de forma serena. Prudência, zelo e respeito são muito necessários neste momento”, disse o Vigário Geral da Arquidiocese, padre Tony Batista.

O protocolo com todas as orientações de reabertura foi elaborado pelos órgãos de vigilância sanitária e aprovado pelo Comitê de Operações Emergenciais (COE), Comitê PRO Piauí e a Procuradoria Geral do Estado.

Veja as recomendações:

Disponibilizar/visibilizar meios de alertas: banners, placas, marcadores ou adesivos alertando para o inimigo comum e invisível: o novo Coronavírus;

A equipe da Pastoral do Acolhimento deve estar preparada para acolher e orientar os fiéis sobre a higienização, distanciamento e uso obrigatório e permanente de máscaras por todos os participantes das celebrações;

Disponibilizar dispensadores de álcool gel 70% em todos os espaços possíveis da Igreja;

Fazer o distanciamento nos bancos e cadeiras de, no mínimo, 2 metros entre os participantes;

Todas as portas e janelas deverão permanecer abertas para garantir a circulação do ar no espaço;

Quando possível, deve-se celebrar ao ar livre;

É necessário isolar bebedouros de bico inclinado;

Não usar, em momento algum, recipientes com água benta;

Isolar com fitas as imagens expostas para que essas não sejam tocadas;

Orientar para que os fiéis se retirem do espaço da igreja mantendo o distanciamento necessário, evitando cruzamentos de pessoas, também no estacionamento.

Com informações da Arquidiocese de Teresina

 

Deixe uma resposta