Assis Carvalho morre aos 59 anos após infarto

O deputado federal estava em um sítio na sua cidade natal, quando passou mal.  Ele era presidente estadual do PT.
Deputado federal Assis Carvalho, do PT (Foto: Câmara dos Deputados)

O deputado federal Assis Carvalho, 59 anos, morreu hoje (5) à tarde em Oeiras. O parlamentar estava em um sítio quando passou mal e foi levado para um hospital da cidade, onde faleceu. De acordo com a assessoria de imprensa do parlamentar, ele sofreu cinco infartos seguidos.

Assis Carvalho sofria de problemas cardíacos. Ele teve um infarto em 2012 e em 2019 enfrentou novas complicações no coração. Naquele ano, passou por uma cirurgia.

No seu terceiro mandato como deputado federal, o político também era presidente do PT. Assis foi eleito pela primeira vez em 2006, para a Assembleia Legislativa do Piauí. Ele venceu as eleições de 2010, 2014 e 2018. O petista também foi secretário estadual de Saúde e diretor-geral do Detran.

A história de Assis Carvalho

Assis Carvalho nasceu na zona rural de Oeiras e era o mais velho de oito irmãos. Começou a trabalhar muito cedo para ajudar nas despesas da família. Ele iniciou os estudos aos 10 anos de idade.

Mudou-se para Teresina, onde continuou os estudos. Passou por vários empregos até ser aprovado no concurso da Caixa Econômica Federal, em 1982. Formou-se em Letras pela Universidade Federal do Piauí no ano de 1997.

Nos anos 90, Assis liderou o movimento pela democratização da comunicação que teve como ponto alto a instalação de rádios comunitárias em todo o Piauí. Foi o primeiro presidente da Associação de Rádios Comunitárias do Estado.

Como bancário, alcançou importantes conquistas para a categoria. Muito atuante, destacou-se nos movimentos sociais como presidente da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal.

Assis Carvalho era casado e pai de três filhos.

Luto oficial de três dias

Através de nota, o Governo do Estado do Piauí manifestou “profundo pesar pelo falecimento do deputado federal Francisco de Assis Carvalho Gonçalves, ocorrido na tarde deste domingo (5)”.

A nota lembra que “Assis Carvalho foi também deputado estadual, presidente da Agespisa, diretor geral do Detran e secretário de Estado da Saúde. Atuante no movimento sindicalista, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores e era uma das principais lideranças da legenda no Piauí e atual presidente do diretório estadual”.

E conclui: “Neste momento de dor, em nome dos piauienses, o governador Wellington Dias se solidariza com os familiares e amigos de Assis Carvalho e decreta luto oficial de três dias”.

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, também decretou luto oficial de três dias pela morte do parlamentar. “O Piauí fica semuma importante liderança que amava e defendia os interesses do nosso estado. Que Deus conforte a sua família”, disse, em nota.

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, Themístocles Sampaio, lembrou que Assis Carvalho alcançou destaque na política piauiense “por sua atuação junto à classe trabalhadora, construindo a trajetória no Partido dos Trabalhadores”.

Homenagens

Em nota, a Universidade Federal do Piauí (UFPI), lamentou a morte do deputado federal.

“A UFPI é grata por todas as vezes em que solicitou, e recebeu, de Assis Carvalho, emendas aplicadas na instituição e pelo sua luta em defesa de uma universidade pública gratuita e de qualidade, na Frente Parlamentar Mista pela Educação.

Neste momento de dor, nos solidarizamos com seus familiares e amigos, ratificando nosso voto de pesar pela grande perda e nossos agradecimentos à dedicação e trabalho prestados ao Piauí”, diz a nota.

O deputado estadual Fábio Novo, companheiro de partido de Assis Carvalho, usou as suas redes socais para homenagear o petista, que apoiava a sua candidatura à Prefeitura de Teresina.

“Você me estimulou a sair estadual! Isso foi em 2007! Acreditava como poucos na renovação do PT! Em 2020 mais uma vez, apostou em mim! Foi o primeiro a levantar a bandeira de #UmNovoOlharParaTHE. Tô engasgado! Que ano duro!”, escreveu.

Em suas redes sociais, a deputada federal Rejane Dias, também do PT, disse que “nosso amigo, colega de Parlamento, deixa um legado de trabalho e comprometimento público. Que a família encontre consolo em Deus nesse momento de dor sem precedente!”.

 

Deixe uma resposta