Piauí registra 299 óbitos por coronavírus e 8,8 mil casos oficiais

Em 24 horas, foram registrados 16 mortes e 464 infectados no estado.

O Piauí já registra mais de 8,8 mil casos oficiais de novo coronavírus, com 299 óbitos. O estado confirmou 16 óbitos nas últimas 24 horas, além de 464 pessoas diagnosticadas com Covid-19. Os números estão no boletim de hoje (10) da Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi).

Teresina teve o seu pior dia desde o início da pandemia: 12 pessoas morreram em decorrência da doença. A vítima mais jovem tinha 40 anos. Luís Correia (2) e Parnaíba (2) completam a lista das cidades com mortes de ontem para hoje, segundo o governo.

A maioria dos óbitos está nas cidades de Teresina, com 163 vidas perdidas, seguidas por Parnaíba (21), Água Branca (9), Barras (6), Campo Maior (6), entre os 62 municípios incluídos nesta estatística.

Por outro lado, 177 das 244 cidades contam com casos confirmados do novo coronavírus. Floresta do Piauí, Monte Alegre e Paes Landim entraram para o mapa estadual da Covid-19, de acordo com o balanço diário.

Os dois municípios com mais registros da doença são Teresina, com 3.773 ocorrências, e Parnaíba (1.110).

Números do Brasil

O balanço divulgado pelo Ministério da Saúde trouxe, hoje (10), mais 32.913 pessoas infectadas pelo novo coronavírus, totalizando 772.416. O resultado marcou um acréscimo de 4,2% em relação a ontem (9), quando o número de pessoas infectadas estava em 739.503.

A atualização do Ministério da Saúde registrou 1.274 novas mortes, chegando a 39.680. O resultado representou um aumento de 3,2% em relação a ontem, quando foram contabilizados 38.406 falecimentos por covid-19.

Do total de casos confirmados, 407.341 estão em acompanhamento e 325.395 foram recuperados. Há ainda 3.608 investigação de óbitos para identificar se a causa foi covid-19.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (9.862). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (7.138), Ceará (4.480), Pará (3.027) e Pernambuco (3.531).

Redação e Agência Brasil

 

Deixe uma resposta